Sri Lanka - Road Trip

Um dos países mais sorridentes que já vi! Terra do chá, das paisagens maravilhosas, das praias repletas de palmeiras e dos templos coloridos - um paraíso terrestre :)




Quando me dirigia de Wadduwa para Colombo de comboio vi um grupo de pessoas numa casa bastante velha que estava a ser reconstruída. Nesse grupo estavam algumas crianças a sorrir e a acenar para as pessoas que estavam no comboio enquanto este passava. Na porta (ainda velha) desta casa estava escrito 'Welcome'. 
Apercebi-me de imediato que não havia melhor forma de introduzir este país! 

Já se chamou Taprobana, Serendib e Ceilão. Em 1972 voltou a adoptar o nome original – Lanka – ao qual juntaram o prefixo Sri, que expressa resplandecência e bons auspícios. Sri Lanka é um país em reconstrução (a guerra civil terminou em 2009) repleto de pessoas maravilhosas que sorriem constantemente. Não devo ter conhecido ate então povo tão simpático e hospitaleiro como este. A comida é simplesmente divinal!!

Aqui a religião não é significado de diferença, muito pelo contrario - todos se respeitam independentemente das suas crenças e acreditam que a harmonia é o segredo. Facilmente encontram Templos Hindus ao lado de Templos Budistas. E provavelmente encontrara uma igreja a uns metros de distancia. 

As belezas naturais são indiscutíveis: seja um mar de agua quente, praias repletas de coqueiros; ou estradas envolvidas pela floresta tropical, jardins de especiarias e arrozais alagados; quedas de água, colinas cobertas de chá e montanhas onde moram deuses. Parques nacionais onde moram elefantes, leopardos, crocodilos e muitos outros animais!


“Um pouco de Wikipedia…
O Sri Lanka, conhecido pela forma portuguesa equivalente Ceilão, adotada pelo país até 1972 era chamado de Taprobana na Antiguidade e na Idade Média; é um país insular asiático, localizado ao largo da extremidade sul do subcontinente indiano. A sua capital é Sri Jayawardenapura-Kotte (ou simplesmente Kotte), subúrbio da antiga capital Colombo, desde 1982.
São os seguintes os significados dos vários nomes por que foi conhecido este país:
     * Sri Lanka: “ilha resplandecente” em sânscrito (श्रीलंका).
     * Ceilão: antigo nome do país derivado da palavra em língua páli "sinhalana" (शिन्हल)                significando “terra dos leões”.
     * Taprobana: derivada de "dip-Raawan", "ilha do rei Rawana"

Info: wikipedia


14 dias no paraíso!





DIA 1 - DIA 2: NEGOMBO


Chegamos ao Sri Lanka! Uma ilha em forma de lágrima ao largo da costa da Índia. 
Na chegada, encontramos um calor abrasador no qual sinceramente já sentia alguma saudade. 

Como devem imaginar, Sri Lanka não é o melhor país para se alugar um carro (embora haja quem o faça) e depois de ler alguns comentários enquanto planeava o meu guia decidimos que a maior parte da nossa viagem seria feita com motorista/guia e apenas 2 trajectos seriam feitos de comboio. 

Do aeroporto (que curiosamente fica muito mais perto da cidade de Negombo do que Colombo) para o hotel fomos de carro - transfer que a maior parte dos hotéis no Sri Lanka providencia por um preço aceitável. 


No primeiro dia apenas tivemos tempo para um duche, vestir roupa de verão e jantar. Quanto ao restaurante optamos por experimentar um que encontramos no tripadvisor considerado o melhor na nossa localização - Lords Restaurant Complex. Confesso que tenho alguma dificuldade para encontrar palavras para descrever a experiencia... penso que posso começar por dizer que foi provavelmente um dos melhores restaurantes que já tive o prazer de conhecer. O restaurante está envolto numa galeria de arte no qual a comida aqui é simplesmente divinal! De tal forma que fomos lá jantar no dia seguinte novamente. 
O ambiente também é super convidativo com musica ao vivo todas as noites e um fish spa gratuito. No final da noite o dono tem a gentileza de conversar um pouquinho com os clientes que ainda se encontram à mesa a jantar...

O dono do restaurante - Martin Fullerton - originalmente de UK, é também fundador da Hope Foundation.

Dá uma espreitadela nas fotos aqui.


No dia seguinte decidimos passear pela cidade de Negombo e durante a tarde optamos por uma boat tour na lagoa de Negombo com a Captain Fernando - aqui apreciamos as cores fantásticas do pôr do sol. Vimos pescadores (que ainda pescam de forma tradicional), pássaros e macacos! Ainda tivemos direito a água de coco :)



A boat tour não é um preço de forreta (18€ pp) eu sei mas a experiencia valeu a pena. O preço inclui pick up e drop off num tuc-tuc.


Por gerações a lagoa tem proporcionado os pescadores com uma oferta abundante de caranguejos, camarões, lagostas, chocos e muitas das espécies nativas de peixes. Estes pescadores vivem em extrema pobreza em aldeias ao longo da borda da água. Baseiam-se principalmente nos seus conhecimentos tradicionais das estações do ano para a sua subsistência, utilizando canoas esculpidas em troncos de árvores e redes de nylon para trazer as capturas modestas de Setembro a Abril. 

Os seus barcos são feitos de duas formas distintas: oruvas (um tipo de canoa à vela) e paruvas (um catamarã grande) - supostamente são originários das ilhas ao largo da costa de Moçambique (foram trazidos para o Sri Lanka por comerciantes portugueses no século 17). 


Embora não tenhamos ido, li interessantes comentários quanto ao mercado do peixe de Negombo.



Na estrada com a Lanka Travel Plan...



Para os 7 dias de road trip que se seguiram, decidimos contratar um condutor/guia para nos acompanhar. Depois de ter recebido imensos elogios sobre a Lanka Travel Plan de vários amigos que já tiveram no Sri Lanka, decidimos que eles seriam a companhia ideal :) 


Depois de enviarmos os locais que gostaríamos de visitar e a morada dos hotéis reservados, Eranga Edmond (organizador) enviou-nos uma proposta de viagem para os 7 dias. Demos a liberdade de incluírem outros locais de interesse e no final o resultado foi super positivo! 

Quando definimos este plano, eu pedi pessoalmente para ser Dushan Munasinghe (para alem de ser o director da empresa, é também um guia com bastante experiencia e com excelentes reviews) a nos acompanhar como guia para alem do condutor. Infelizmente ele estava doente :( e infelizmente não tinham nenhum guia disponivel.
Mahendra Dilruk (conhecido por 'Dil') acabou por nos acompanhar nestes 7 dias de aventura como condutor. Para compensar a falta de guia, Dushan e Eranga providenciaram guias locais para nos acompanhar em algumas visitas nomeadamente a Templos e Polonnaruwa. 

Eles podem começar e terminar o passeio em qualquer ponto de sua escolha - no meu caso começou em Negombo e terminou em Wadduwa. 

No site deles pode se ler: "at Lanka Travel Plan, you visit Sri lanka as our Guests and we promise you will leave as our friends." Esta frase descreve exactamente o sentimento. 
Definitivamente voltarei a contacta-los numa próxima visita a este país!


DIA 3 - NEGOMBO – PINNAWELA ELEPHANT ORPHANAGE - SIGIRIYA


Em direcção a Sigiriya decidimos parar no Pinnawala Elephant Orphanage onde tivemos a oportunidade de ver os elefantes a banharem-se no rio local e a alimentarem-se. Podem sempre tirar fotos com os elefantes, darem-lhes banho ou darem-lhes algumas bananas a boca. :) 


Pinnawala Elephant Orphanage

Fundado em 1975, O Pinnawala Elephant Orphanage (habitat natural) fica a norte de Kegalle e a uns 40 km de Kandy. Abriga cerca de 100 elefantes, jovens e velhos, muitos dos quais ficaram ou órfãs ou feridos em estado selvagem - alguns foram feridos durante os confrontos da guerra civil (Sama, o elefante que tem apenas três pernas pisou uma mina terrestre). 
Alguns dos elefantes que agora estão neste orfanato acabaram por nascer aqui. Se tiver a sorte de encontrar um elefante bebe, vai poder vê-los a serem alimentados por biberões de leite de grande dimensão durante as sessões de alimentação (diariamente as 9h15, 13h15 e 17h). 
Após as refeições, os elefantes são conduzidos ate ao rio local (Ma Oya) onde se tomam banho. Poder presenciar isto é uma verdadeira experiencia a não ser perdida no Sri Lanka.



Horario: diariamente das 8h30 - 5h30
Entrada: LKR 2500.00 ( ~ 15,20€ )


Não muito longe daqui fica a Millennium Elephant Foundation no qual pode ser visitada se tencionar uma abordagem mais didáctica e interactiva, com monitores e exposições sobre vários temas relacionados com o elefante, e guias informativos à disposição para responder suas perguntas. 

Há nove elefantes aqui, principalmente elefantes aposentados do trabalho, e os visitantes podem ajudar a limpá-los, interagir com eles, e, geralmente, obter mais hands-on do que é possível em Pinnawela.


Após a visita seguimos viagem ate Sigiriya ao longo  do campo onde podemos apreciar a diversidade, as pessoas, estilo de vida, arrozais, frutas frescas etc.



DIA 4 - SIGIRIYA - POLONNARUWA - SIGIRIYA



Sigiriya Rock

O dia começou com uma visita à famosa fortaleza de Sigiriya - 'Lion Rock'. Esta foi construída pelo rei Kasyapa no século V - este impressionante local está localizado no topo de uma rocha de granito com cerca de 200 metros altura. Prepare-se para subir cerca de 1000 degraus! :)

Aconselho ainda a fazer esta visita de manha super cedo para evitar os picos de calor.
Mas nao se assuste pois a subida vale bem apena!

Erguendo-se das planícies centrais, o afloramento rochoso icônico de Sigiriya é talvez das visoes mais espetaculares do Sri Lanka quando visto debaixo. Sao paredes quase verticais que levam ate um topo achatado que contém as ruínas de uma antiga civilização. Para alem disso, as vistas sao fascinantes: floresta envolta em névoa no início da manhã.
Durante a subida (por escadas vertiginosas ligadas a paredes íngremes para chegar ao topo) você vai passar por uma série de afrescos fantasticos e um par de patas de leão de tamanho colossal esculpidos na rocha.

Entrada: ~ 26,50€




Polonnaruwa

A tarde foi passada na capital medieval de Polonnaruwa, construída ao lado de um antigo lago.



Varios reis governaram as planícies centrais do Sri Lanka a partir de Polonnaruwa ha 800 anos atrás quando era um próspero centro comercial e religioso. As glórias dessa época podem ser encontrados em tesouros arqueológicos que dão uma boa idéia de como a cidade parecia em seu apogeu.
Aqui tivemos a oportunidade de explorar as ruínas (bem preservadas) de palácios, stupas, piscinas de banho e esculturas de pedra de Buda.

Entrada: ~ 22€


Antes de regressarmos ao hotel, visitamos Gal Vihara. Aqui vai encontrar quatro belas imagens de Buda, que provavelmente marca o ponto alto da escultura em pedra cingalesa. Elas fazem parte do mosteiro Parakramabahu.
O Buda de pé tem 7m (sim, 7m !!) de altura e dizem ser dos mais bonitos. A posição incomum dos braços e a expressão facial triste levou à teoria de que era uma imagem do discípulo Ananda do Buda, de luto com a partida do seu mestre para nirvana. No entanto, a descoberta de outras imagens com a mesma posição do braço, desacreditou esta teoria e agora aceita-se que todas as imagens são do Buda.
O Buda reclinado que retrata a entrada no parinirvana (nirvana após a morte) tem 14m de comprimento. Observe a depressão sutil no travesseiro sob a cabeça e o símbolo da roda na extremidade do travesseiro. As outras duas imagens são ambos do Buda sentado.




DIA 5 - SIGIRIYA – DAMBULLA - KANDY



Dambulla

Deixamos Sigiriya para trás e seguimos para Kandy com paragem em Cave Temples (Dambulla) completamente coberto de afrescos antigos e que abrigam centenas de estátuas de Buda.

Entrada: ~ 8€


Kandy

Em Kandy visitamos o Templo da Relíquia do Dente Sagrado de Buda (Temple of Golden Tooth Relic) durante uma missa. A experiencia foi fantástica! Tive ainda a oportunidade de, na altura dos oferendas, oferecer a flor de lótus. 
Recomendo vivamente!! :) 



A cidade tem bastante personalidade, tem cultura e história - a agitação urbana é fornecida pelos mercados de rua espontânea ocupados, estações de BUS ainda mais movimentada e restaurantes. 
Kandy serviu como a capital do último reino cingalês, que caiu para os britânicos em 1815 depois de desafiar o Português e o Holandês durante três séculos. Os britânicos demoraram mais de 16 anos para construir a estrada que liga Kandy a Colombo. 
Kandy é reconhecida pelo grande festival chamado 'Kandy Esala Perahera' - antecede ao Poya Nikini (lua cheia), no final do mês de Julho / Agosto. 

A cidade não fica apenas pelo Templo da Relíquia do Dente Sagrado de Buda! Tem também o lago de Kandy (lago artificial) e as danças Kandyan (o bilhete de entrada custa ~ 6€).




DIA 6 - KANDY - NUWARA ELIYA (comboio)



Hoje viajamos para a magnífica região de cultivo de chá de Nuwara Eliya de comboio :-) Esta cidade é conhecida como 'a pequena Inglaterra'. 




A ideia foi explorar a paisagem pitoresca e na cidade visitar alguns edificios do tempo colonial (construído pelos britânicos no século 19 para escapar do calor escaldante das planícies).
Muitos dos edifícios mantêm as características do período colonial, como Casa da Rainha, o Grand Hotel, Post Office e até mesmo os novos hotéis são muitas vezes construídos e decorados em estilo colonial.




DIA 7 - NUWARA ELIYA - ELLA – TISSAMAHARAMA


Viajando em direcção à costa decidimos parar em Ella para visitar as cascatas de agua Rawana que espectaculares e actualmente classificam-se como uma das maiores quedas de água no Sri Lanka!



Subimos ainda ao Little Adam`s Peak onde tivemos vistas sobre um verde maravilhoso.  


Durante esta caminhada tivemos a oportunidade de estar de perto com mulheres que todas as manhas se dirigem aos campos de chã para fazer a colheita.



Finalmente visitamos o templo Buduruwagala - aqui encontra uma escultura de Buda de tamanho gigantesco (~ 15.5 metros) numa rocha maciça. Absolutamente fantástico!!



DIA 8 - TISSAMAHARAMA - KATARAGAMA - YALA NATIONAL PARK


O dia foi dividido entre a visita a Kataragama e o safari no Parque Nacional de Yala. 

Kataragama é uma cidade multi-fé super vibrante. Este lugar sagrado abraça os budistas, hindus e muçulmanos. Na realidade abraça todas e quaisquer religiões. Fantástico o ar que aqui se respira!!.. 

video








O fim de tarde foi passado no parque nacional de Yala - o mais antigo e também mais conhecido dos parques nacionais do Sri Lanka. Aqui, podem encontrar leopardos (infelizmente não vimos nenhum), elefantes, búfalos, ursos negros, entre outros. 




DIA 9 - TISSAMAHARAMA - GALLE - WADDUWA BEACH


Dirigimos ao longo da bela costa sul do Sri Lanka, para a cidade colonial de Galle no qual a sua fortaleza faz parte do Património da Humanidade UNESCO. Terminamos a jornada de hoje na praia Wadduwa onde relaxamos durante alguns dias.

Galle

Galle (pronuncia-se 'gaar-le' em Sinhala) é um destino imperdível no sul! É infinitamente exótico com uma colecção maravilhosa de edifícios coloniais holandeses, repleto com aromas de especiarias e ventos salgados. 

O Forte é repleto de pequenas boutiques, cafés e hotéis de propriedade de artistas locais e estrangeiros, escritores, fotógrafos, designers e poetas - um terço das casas são propriedade de estrangeiros. 
Como devem imaginar, é também uma cidade relativamente turística e por isso os preços são mais elevados em comparação com o restante pais. 

Construído pelos holandeses, com início em 1663, o Forte de 36 hectares ocupa a maior parte de um promontório que está rodeada em três lados pelo oceano. 
Galle é facilmente alcançada com um dia de viagem de Colombo e está a uma curta distancia de carro das praias de Hikkaduwa e Unawatuna. 

Fica a nota que no extremo sul do Forte - Flag Rock - esteve em outrora um bastião Português :) Hoje é o lugar mais popular para apanhar sol. 
Durante o período holandês, os navios que se aproximam eram avisados a partir do bastião em cima da Flag Rock alertando-os de rochas perigosas - daí o seu nome. Mais tarde, os holandeses construíram um farol aqui.






Finalmente, visitamos um centro de incubação de tartarugas local que foi criado para conservar a população de tartarugas. O bilhete custa cerca de 3€ e supostamente o dinheiro serve para conservar o espaço e proteger as tartarugas.



DIA 10 / 11 / 12 - WADDUWA BEACH



Aqui ficamos 3 dias inteiros a relaxar :)
A unica coisa que fizemos foi apanhar sol, ler e dormir.




DIA 13 - WADDUWA BEACH - COLOMBO


Após o almoço, decidimos apanhar um comboio ate Colombo. Do resort à estação de comboio são cerca de 5 minutos de tuk-tuk e custa cerca de 3€. 

Esta viagem de comboio foi sem duvida das melhores ideias que podíamos ter tido - corre ao longo do mar e tem uma visão espectacular sobre o dia-a-dia das pessoas no Sri Lanka. 
Aconselho vivamente!! 

Como chegamos relativamente cedo a Colombo, decidimos visitar Galle Face Road onde, rodeados de locais e alguns turistas, podemos ver o magnifico por do sol do Sri Lanka. Para os mais naturistas, ha sempre a possibilidade de fazer um piquenique aqui.

Morada: Galle Face Centre Rd, Colombo 00300


DIA 14 - COLOMBO


Terminamos a nossa aventura no Sri Lanka com a visita mais aprofundada à capital do Sri Lanka, Colombo. 
O ultimo dia foi passado a visitar o Forte e o Mercado Pettah (morada: Market St, Colombo 01100). Gostei bastante de visitar este mercado ao ar-livre pela diferença que aqui se pode encontrar quer nas pessoas como nos produtos. 

Se tiver mais tempo pode visitar muitas outras atracões: 

Mesquita Jami Ul-Alfar 
Considerada a mesquita mais famosa de Colombo - com imensas torres em riscas de vermelho e branco. 
Morada: 2nd Cross St, Colombo 01100 

Independence Memorial Hall 
É um memorial da independência do Sri Lanka da Grã-Bretanha, situado na Praça da Independência. 
Morada: Independence Square, Colombo 00700, 

Slave Island 
Durante o reinado Português e Holandês, escravos vindos de África eram mantidos aqui. Actualmente é um subúrbio que abraça o lago Beira. 
Morada: Sir Chittampalam A Gardiner Mawatha, Colombo 00200 


Eu não tive a oportunidade de visitar o Museu de Colombo mas outros turistas com quem me cruzei nas ferias alertaram para o facto de a visita ser demasiado cara para o que se encontra lá... 
Morada: 61 Nelum Pokuna Mawatha, Colombo


Quanto custou?


Ainda estamos a apurar o resultado final :) mas estimamos que com a estadia para 14 noites, refeições, Transfer Aeroporto - Hotel Negombo (8€ pp), Lanka Travel Plan (7 dias road trip: 270€ pp), Boat Tour em Negombo (18€ pp), entre outros, ... o valor final tenha sido cerca de ~ 1800€ pp.


A saber antes de ir...


Visa
O visa turistico (visto de 30 dias) para o Sri Lanka deve ser obtido, com antecedência, onlilne e custa US $ 30.

Língua local 
O país tem três línguas oficiais, incluindo Inglês que é amplamente falado. Ele pode ser muito divertido aprender um pouco frases em cingalês ou Tamil. :) 
Dizer "Ayubowan 'com as mãos cruzadas em conjunto é a principal saudação bem dizer adeus. 
Ayubowan significa - pode você ser abençoado com vida longa. 

Dinheiro / Gorgetas
Apesar de uma taxa de serviço de 10% ser adicionado às facturas de restaurantes e alojamento, geralmente esse dinheiro vai directo para o proprietário, em vez de ir para o trabalhador. Por isso, em retaurantes e bares é boa pratica deixar mais 10% (para além desta 'taxa de serviço') para os empregados.

Alem disso...
• Taxis: 10% gorgeta
• Empregada de quarto: 100 rupias por dia
• Porteiros: 50 rupias
• Guardadores de sapatos nos templos: 20 rupias
• Guias turisticos: por habito, 10%

Costumes locais 
Práticas culturais, tradições e religião desempenham um papel forte no modo de vida local. Vai descobrir que a cada lua cheia dia do mês é declarado um feriado budista 'poya'. Respeite os costumes locais e modo de vida. 

Ao visitar locais religiosos... 
Lembre-se de remover o calçado e cobrir o seu corpo razoavelmente bem quando visitam templos budistas e outros lugares religiosos. 

Ser justo na negociação 
A não ser em uma loja principal, com itens de preços marcados, existem muitas oportunidades para negociação. Lembre-se, a negociação deve ser visto como uma oportunidade para construir uma relação social entre vendedor e comprador, e não simplesmente como um competidor intercâmbio económico. Concordar com um preço final justo, considerando a tempo e esforço que foi gasto na produção do produto.


E muito mais!!
Antes de ir pesquise tudo o que pode vir a precisar saber, nomadamente fichas de electricidade no Sri Lanka, valor da moeda, ...




0 comentários:

Enviar um comentário